11/07/2024 às 13h02min - Atualizada em 11/07/2024 às 13h02min

Barbacena registra mais de 100 casos de hepatites nos últimos 12 anos. Saiba mais sobre a doença

- 93fmbq.com.br
Com informações do Ministério da Saúde.
Imagem: Cartão de Todos

Entre os anos de 2012 e 2023, foram registrados em Barbacena 117 casos de hepatites virais, tipos A, B e C, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Nos primeiros meses de 2024 são cinco casos confirmados na cidade, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (Sesap). O Ministério da Saúde estima que mais de 785 mil pessoas foram diagnosticadas a doença no Brasil nas duas últimas décadas.
A hepatite é uma doença silenciosa, muitas vezes assintomática por muitos anos, e que leva a quadros graves de difícil tratamento como a cirrose hepática e o câncer de fígado. Trata-se de uma inflamação do órgão e pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras são sintomas da doença.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza meios para diagnosticar as hepatites virais através de exames de sangue e testes rápidos ou laboratoriais, em qualquer unidade básica de saúde (UBS) e nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA).

O tratamento da hepatite A se resume a repouso e cuidados com a dieta do paciente. Já em caso de hepatite C, a intervenção terapêutica é feita com os chamados antivirais de ação direta (DAA), geralmente por oito ou 12 semanas, apresentando taxas de cura de mais de 95%.

A hepatite B não possui cura, mas seu tratamento com medicamentos específicos (alfapeginterferona, tenofovir e entecavir) tem por objetivo reduzir o risco de progressão da doença e complicações.

Todas as hepatites virais podem ser evitadas com alguns cuidados. Para a do tipo A, o recomendado é lavar as mãos com água e sabão após ir ao banheiro, trocar fraldas e antes de cozinhar ou comer, além do uso de água tratada, saneamento básico e higienização adequada dos alimentos. Já a prevenção das hepatites B e C passa por evitar o contato com o sangue contaminado. Portanto, recomenda-se a utilização de preservativos nas relações sexuais, sempre exigir materiais esterilizados ou descartáveis e não compartilhar itens, equipamentos ou utensílios de uso pessoal. Apenas a hepatite do tipo C não possui vacina.




 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.