29/05/2024 às 12h15min - Atualizada em 31/05/2024 às 00h01min

Leptospirose torna-se perigo no Rio Grande do Sul para pessoas e bovinos

Enfermidade está associada à contaminação da água e também acomete humanos

MARIANA TABATIANO
FREEPIK

As enchentes provocadas pelas fortes chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul nas últimas semanas elevaram o risco contaminação por leptospirose não apenas para a população, mas também para animais de produção, como os bovinos. Como se trata de uma zoonose, é importante redobrar as medidas de prevenção para o rebanho, evitando que os profissionais envolvidos em seu manejo permaneçam em potencial perigo.

"A leptospirose é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida a partir da exposição direta ou indireta à urina de animais – principalmente ratos – infectados pela bactéria Leptospira. A penetração dessa bactéria no organismo pode ocorrer de duas formas: a partir lesões na pele ou mesmo na pele íntegra, quando esta fica imersa por longos períodos em água contaminada", explica o médico-veterinário Sérgio Kalil, gerente de marketing da Syntec do Brasil.

Os seres humanos também podem contrair a doença. Por isso, é importante que quem está lidando com bovinos possivelmente infectados usem equipamentos de proteção individual, como luvas e botas de borracha. "Se um bovino apresentar sintomas de leptospirose, como febre, perda de apetite e fraqueza, entre outros, o ideal é isolá-lo dos demais para evitar a contaminação do rebanho todo", ressalta Kalil.

A prevenção é fundamental. Em casos graves, a leptospirose pode evoluir para complicações, como insuficiência renal, hemorragias, meningite, problemas respiratórios e até a morte, tanto do animal quanto dos seres humanos. Portanto, é importante estar ciente dos riscos e tomar medidas para reduzir a exposição à bactéria causadora da enfermidade.

"Além da vacinação contra leptospirose, que deve estar no calendário do pecuarista, também é fundamental manter o ambiente limpo, o que auxilia a reduzir o risco de contaminação. Isso inclui limpar as áreas onde os bovinos estão alojados e remover o material orgânico acumulado", complementa o médico-veterinário da Syntec. "Nesse cenário de tragédia, é preciso estar atentos para evitar mais dor a um povo que merece todo nosso apoio e solidariedade".

Doações                              

A Syntec disponibilizou ao Rio Grande do Sul suplementos e medicamentos para a saúde e o bem-estar animal. A doação inclui cerca de 2.000 unidades de suplementos, antibióticos, anti-inflamatórios, antiparasitários e vermífugos. Muitos dos produtos podem ser utilizados em mais de um animal, protegendo-os em um ambiente possivelmente contaminado por micro-organismos perigosos.

Sobre a Syntec – A Syntec é uma indústria de produtos para saúde animal 100% brasileira com 20 anos de história e foco em medicamentos e suplementos veterinários de alta complexidade. Seu portfólio é amplo, incluindo terapêuticos, especialidades, produtos para higiene e saúde, suplementos e, agora, vacinas animais. Para mais informações acesse: www.syntec.com.br


Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
FERNANDA DE SOUZA MARTINS
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.