28/05/2024 às 16h59min - Atualizada em 30/05/2024 às 00h01min

Recuperação Judicial: empresas relacionadas ao agronegócio tiveram alta na demanda pelo recurso em 2023, revela Serasa Experian

Inteligência analítica é capaz de identificar sinais de possível recuperação judicial antes do recurso ser demandado

VIVIANE GARCIA
Serasa Experian
banco de imagens
Estudo inédito da Serasa Experian mostra demanda por recuperação judicial para empresas de produtos e serviços que se relacionam diretamente com o agronegócio, com exceção de produtores rurais que atuam com perfis jurídicos (PJ), que é foco de um levantamento separado. Durante todo o ano de 2023, essas companhias acumularam 321 pedidos, registrando aumento, já que em 2022 foram constatadas 176 requisições do recurso. Ainda assim, mesmo com a alta anual, a comparação entre o terceiro e o último trimestre do ano passado é positiva, pois de um período para o outro as solicitações reduziram de 92 para 84.

Confira no gráfico abaixo os números completos sobre o acumulado anual:
Dentre as empresas contempladas por essa análise estão, revendedores e indústrias de insumos, agroindústrias e comércios atacadistas de produtos agropecuários, serviços de apoio à agropecuária, bem como indústrias e revendedores de máquinas agrícolas.
De acordo com o head de agronegócio da Serasa Experian, Marcelo Pimenta, “embora os pedidos de recuperação judicial tenham registrado aumento em 2023, é importante ressaltar que isso não configura uma crise generalizada no agronegócio brasileiro, já que a maior parte do setor segue operando normalmente, sem necessidade do recurso. É fundamental que os produtores e empresas ligadas ao agro organizem suas finanças e, se preciso, busquem pela renegociação de dívidas, pois a recuperação judicial deve ser utilizada apenas como último recurso. Além disso, temos um novo cenário em que soluções como o Agro Score e instrumentos como o Fiagro Reorg, podem ser acessados para prever instabilidades financeiras e auxiliar na jornada de recuperação econômica”.

Agro Score: modelo preditivo pode prever sinais que indicam possível recuperação judicial
Um levantamento feito com o Agro Score PJ, solução da Serasa Experian construída com informações específicas do agronegócio e que prevê o risco de inadimplência relacionado a empresas e consumidores do segmento, comprovou que o uso de modelos preditivos pode antecipar e evitar riscos, permitindo que a tomada de decisão dos credores seja mais assertiva. Isso porque a ferramenta é capaz de identificar, com vários meses de antecedência, perfis com sinais de risco que podem pender para uma possível adesão ao instrumento de recuperação judicial.

No gráfico abaixo podemos observar o exemplo mencionado, em que o Agro Score PJ médio para a população de empresas relacionadas ao agronegócio é significativamente maior do que o dos que solicitaram recuperação judicial mesmo 3 anos antes do pedido e a curvatura da pontuação cai ao longo do tempo mesmo antes da solicitação. Confira:



Agroindústria e comércio atacadista do setor acumularam pedidos em 2023
 
Durante o ano de 2023 foram as Agroindústrias e os comércios atacadistas as empresas não produtoras relacionadas ao agronegócio que mais buscaram por recuperação judicial, somando 264 pedidos. De acordo com o levantamento, as Indústrias de Máquinas Agrícolas foram as menos afetadas, registrando apenas uma solicitação. Confira no gráfico a seguir.


São Paulo e Minas Gerais foram os estado mais demandantes
Os dois primeiros estados que mais buscaram por recuperação judicial em 2023, ainda falando sobre empresas que atuam diretamente com o setor agro, pertencem à região centro-oeste. Em sequência, estão o Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Veja no gráfico a seguir as informações na íntegra.

AgroEvolution: evento inédito debaterá futuro do crédito no agronegócio brasileiro

Criado pela CMS Group, em parceria com a Serasa Experian, o evento AgroEvolution vai fomentar debates sobre o cenário econômico do agronegócio e, em especial, a recuperação judicial no campo. Além dos dados de trabalhadores rurais que atuam como pessoas físicas e jurídicas, as empresas com serviços e produtos relacionados ao setor também serão analisadas durante o painel.

Para compor e enriquecer essa conversa o head de agronegócio da Serasa Experian, Marcelo Pimenta, convida diversos especialistas como: Renato Buranello, presidente do Instituto Brasileiro de Direito do Agronegócio, Christian Ramos, CEO da NPL Brasil e Fernanda Franco, diretora executiva da V4 Gestão.

Serviço: Agro Evolution - 1ª edição
Data: 22 de maio, a partir das 8h
Local: Centro de Convenções Rebouças
Endereço: Av. Rebouças, 600 - Pinheiros, São Paulo
Inscrições: https://cmseventos.com/evento/agro-evolution

Metodologia
O levantamento inédito feito pela Serasa Experian foi construído a partir das estatísticas dos processos de recuperações judiciais no Agronegócio registradas mensalmente na base de dados da companhia, provenientes dos tribunais de justiça de todos os estados. Estão contemplados nesse levantamento empresas que possuem Classificação Nacional de Atividade Econômica (CNAE) principal constante no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) relacionadas a revendedores e indústrias de insumos, agroindústrias, comércios atacadistas de produtos agropecuários, serviços de apoio à agropecuária, indústrias e revendedores de máquinas agrícolas. 

Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
VIVIANE NEVES GARCIA TORRE
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.