20/05/2024 às 11h08min - Atualizada em 20/05/2024 às 11h08min

Quadrinistas da Amazônia se destacam na 12ª edição do FIQ BH

Artistas do Norte do Brasil destacam-se com produções inovadoras e participações em debates e oficinas

Emerson Coe - dol.com.br/
Artistas do Norte do Brasil destacam-se com produções inovadoras e participações em debates e oficinas | Reprodução/Redes sociais

A 12ª edição do Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte (FIQ BH), que acontece de 22 a 26 de maio no Minascentro, promete ser um marco na valorização e crescimento dos quadrinhos no Brasil. Organizado pela Prefeitura de Belo Horizonte em parceria com o Instituto Periférico, o festival é reconhecido como o maior evento do gênero na América Latina e apresenta um panorama abrangente da produção contemporânea de quadrinhos no mundo.

Este ano, os quadrinistas da Amazônia têm uma presença significativa no FIQ BH, tanto no Artist's Alley quanto na programação do evento. Esses artistas trazem um estilo e diversidade cultural, contribuindo para o intercâmbio entre criadores e editores nacionais e internacionais.

Artistas da Amazônia no Artist's Alley
No Artist's Alley, os representantes dos quadrinhos da Amazônia incluem Gyselle Kolwalsk (PA), Laura Athayde (AM), Flavio Terceiro (AM), Thaly Chrys (PA), Francy Botelho (PA), Tai (PA), Nil Jorge (AM), Ray Cardoso (AM), Karipola (PA), Pongo (PA), Thai Rodrigues (AP), Izzi Regina (AM), o Coletivo AP Quadrinhos (AP), Aynan Del Tetto (AP), Leonardo Dressant (PA) e Eric Blake (PA). Esses artistas exibem trabalhos que vão desde temas sociais e culturais até fantasias e realismo, destacando a pluralidade e a riqueza da produção amazônica.

CONTEÚDO RELACIONADO:
Eisner Awards 2024: brasileiros brilham entre os indicados
HQ arrepiante promete reviravoltas inesperadas. Confira!
HQ 'Merenda': reflexões do sistema educacional em quadrinhos
Participação em Mesas de Debate e Oficinas

A programação do evento conta com vários artistas amazônicos participando de mesas de debate e oficinas:
Reflexão e Diálogo
Com o tema "Onde cabem os quadrinhos?", o FIQ BH deste ano incentiva reflexões sobre a relação histórica e contemporânea dos quadrinhos com a sociedade. Os artistas da Amazônia enriquecem esse diálogo, trazendo perspectivas únicas que abordam questões de identidade cultural, meio ambiente e as dinâmicas sociais da região.

Quer mais notícias de Entretenimento? Acesse nosso canal no WhatsApp

Intercâmbio Cultural e Inclusão
A participação dos quadrinistas amazônicos no FIQ BH fortalece o intercâmbio cultural entre artistas de diferentes partes do Brasil e do mundo. Esse encontro é essencial para o crescimento e a visibilidade da produção de quadrinhos na Amazônia, promovendo um ambiente de criatividade e aprendizado mútuo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.