16/05/2024 às 03h38min - Atualizada em 16/05/2024 às 03h38min

PBH fortalece educação em BH com psicólogos e assistentes sociais nas escolas

- prefeitura.pbh.gov.br
Divulgação/PBH

Para muitas crianças, a escola é mais do que um lugar para aprender a ler e escrever. É um espaço onde elas desenvolvem habilidades sociais, constroem relacionamentos e, às vezes, buscam apoio emocional para lidar com problemas do cotidiano. Quando esses problemas interferem no aprendizado ou na convivência escolar, é crucial ter uma equipe de apoio pronta para intervir. O Projeto PAS (Psicólogos e Assistentes Sociais), uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação (Smed) de Belo Horizonte, é um exemplo de como a assistência social e o suporte psicológico podem fazer a diferença nas escolas da Rede Municipal de Educação (RME).

Para tornar isso possível, a Smed realizou um processo seletivo simplificado em 2023 para contratar 664 profissionais, entre assistentes sociais e psicólogos, para atuar em cada escola da RME, bem como em cada regional e na própria Smed. O processo de admissão dos aprovados começou em fevereiro de 2024. A proposta é ter uma dupla de profissionais, um assistente social e um psicólogo, para cada escola da Rede Municipal.

Com a chegada dos novos profissionais em maio, o Projeto PAS está ganhando força para atingir o objetivo de fortalecer a educação em Belo Horizonte. Cerca de 260 candidatos foram convocados para preencher as vagas resultantes de desistências ou rescisões contratuais. Isso significa que mais escolas terão a oportunidade de contar com esses profissionais especializados, proporcionando um suporte ainda maior para a comunidade escolar.

O foco do projeto é promover um ambiente escolar saudável e propício ao aprendizado. Os assistentes sociais e psicólogos trabalham em parceria com as equipes gestoras das escolas para:

melhoria do ensino e da aprendizagem – os profissionais atuam para potencializar ações pedagógicas com foco na promoção da equidade, no combate à baixa frequência e na redução do abandono escolar.
 promoção da coletividade - eles incentivam a corresponsabilidade entre estudantes, professores(as) e gestores, buscando soluções conjuntas para problemas do dia a dia escolar;
articulações intersetoriais - as equipes fortalecem parcerias entre a educação e outras políticas públicas, como saúde e assistência social, para garantir um atendimento mais abrangente ao estudante;
mapeamento de pontos de tensão - assistentes sociais e psicólogos identificam áreas de conflito nas escolas, promovendo diálogo e ações restaurativas para melhorar o clima escolar.

Além disso, assistentes sociais e psicólogos têm papel fundamental na elaboração de diagnósticos situacionais do território onde as escolas estão inseridas. Com essa análise, eles podem identificar as demandas locais e planejar ações para atender as necessidades das famílias, além de colaborar na criação das Câmaras de Práticas Restaurativas e na elaboração do Plano de Convivência Escolar, importantes instrumentos para estabelecer um ambiente escolar seguro e inclusivo.

O Projeto PAS representa um passo inovador para a educação em Belo Horizonte. Ao reunir profissionais qualificados para lidar com questões sociais e emocionais nas escolas, o projeto busca construir um sistema educacional mais forte, resiliente e acolhedor. Com o engajamento de assistentes sociais, psicólogos, gestores, professores e famílias, o PAS tem potencial para criar um futuro mais promissor para todos os estudantes da RME-BH.

Vamos conhecer o trabalho da equipe do Projeto PAS na Escola Municipal de Educação Infantil Itamarati, da Regional Venda Nova, onde a psicóloga Mara Galvão e a assistente social Martuza de Oliveira têm uma atuação importante para promover um clima escolar saudável.

A equipe do Projeto PAS na Emei Itamarati

Mara Galvão e Martuza trabalham juntas para melhorar o clima e a convivência na Emei Itamarati. Desde o início, elas contam com o apoio da gestão escolar para realizar reuniões diárias, seja para abordar questões levantadas por professores(as) ou pelas famílias. Nessas reuniões, a coordenadora pedagógica do turno, a professora referência e a equipe do Projeto PAS discutem condutas e estratégias para melhorar o desempenho e a aprendizagem dos(as) alunos(as).

"Realizamos reuniões diariamente para alinhar condutas e propor ações para melhorar o ambiente escolar", relata a psicóloga Mara Galvão. "Ao final de cada reunião, se necessário, preenchemos uma ficha de anamnese para acompanhar o caso do aluno." Outras atividades incluem dinâmicas com a participação de profissionais da escola, de acordo com as demandas apresentadas pela direção.


Além das reuniões regulares com a gestão, a equipe do Projeto PAS também promove reuniões mensais com professores(as), chamadas de "Café é sempre uma boa ideia". "Neste mês, fizemos uma roda de conversa e propusemos uma dinâmica com os professores para trabalhar pontos de tensão que observamos nas relações interpessoais entre os membros do grupo escolar", explica a assistente social Martuza.

Foco na coletividade e no engajamento
A equipe do Projeto PAS não se limita a trabalhar apenas com os(as) professores(as). Elas também estão se programando para realizar atividades com outros(as) funcionários(as) da escola e com os(as) profissionais de apoio ao educando. "Estamos programando atividades para todos, visando sempre à melhoria do clima escolar", afirma Martuza.

A atuação da equipe vai além da escola, incluindo reuniões com pais, mães e cuidadores(as), sempre com a presença da coordenadora pedagógica e da professora referência. Essas reuniões têm o objetivo de ouvir as famílias e estabelecer uma comunicação mais assertiva, baseada no diálogo: "Já estamos pensando em propor rodas de conversa para entender melhor as dificuldades que impactam o ensino e a aprendizagem dos alunos", conta Mara.

Além disso, a equipe do Projeto PAS dedica tempo para observar os(as) alunos(as) em sala de aula e durante os intervalos, buscando aprimorar sua percepção sobre a socialização e a participação dos(as) estudantes nas atividades escolares. O diagnóstico institucional e a elaboração do plano de trabalho também fazem parte da rotina da equipe.

O Projeto PAS na Emei Itamarati é um exemplo de como a assistência social e o suporte psicológico podem criar um ambiente escolar mais saudável e acolhedor. Com o engajamento de todos os membros da escola, desde a direção até as famílias, a equipe do Projeto PAS busca garantir que cada aluno(a) tenha a oportunidade de crescer e aprender em um ambiente positivo e inclusivo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.