15/05/2024 às 02h28min - Atualizada em 15/05/2024 às 02h28min

Dengue em BH: em quatro meses, casos prováveis crescem quase 2.000%

De janeiro a abril deste ano, o número de casos prováveis é 1.930% maior comparado ao mesmo período de 2023

Melissa Souza* - em.com.br
Epidemia de dengue soma mais de 160 mil casos da doença em Belo Horizonte crédito: EBC

O número de casos de dengue registrados em Belo Horizonte entre janeiro e abril de 2024 foi quase 2.000% maior do que o registrado no mesmo período de 2023. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), até abril deste ano foram contabilizados 179.965 casos prováveis da doença contra os 8.864 nos quatro primeiros meses do ano passado.

Os números, no entanto, continuam em ascensão. No último balanço da dengue divulgado pela SES-MG nesta quarta-feira (15/5), BH tinha 181.372 casos prováveis da doença, com 52.872 confirmações. 

Embora o crescimento venha perdendo força nas últimas semanas, o alerta de epidemia continua ativo na capital mineira. Portanto, o cenário epidemiológico continua sendo monitorado pelas autoridades da área da saúde.

Até o momento, 2016 foi o ano que teve maior número de registros e mortes pela doença. Foram cerca de 154 mil casos confirmados em todo o ano, três vezes mais do que os analisados em 2024. Já o número de óbitos chegou a 62, contra os 45 registrados neste ano.

Epidemia
O cenário é intensificado pelo aumento de todas as arboviroses transmitidas pelo mosquito da dengue, o Aedes aegypt. Nos quatro primeiros meses do ano, 466.555 pacientes com sintomas de dengue, zika e chikungunya foram atendidos em unidades de saúde de BH. No mesmo período do ano passado, foram 46.516 atendimentos. O número é praticamente 10 vezes menor.

Em relação a chikungunya, Belo Horizonte registrou até esta quarta-feira (15/5), de acordo com a SES-MG, 3.888 casos confirmados e quatro mortes. Já em relação à zika houve duas notificações, mas nenhum caso foi confirmado. Não há morte por zika.

O prefeito Fuad Noman (PSD) decretou situação de emergência em saúde pública na capital mineira devido ao número de casos de dengue, chikungunya e zika na cidade, no dia 17 de fevereiro.

Desde então, a decisão foi mantida. O decreto levou em conta que BH atingiu uma incidência média superior a 300 casos prováveis de dengue por 100 mil habitantes, caracterizando um estado de epidemia estabelecida, segundo os parâmetros do Ministério da Saúde.

Vacinação
Em meio ao aumento de casos das arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti, a vacinação contra a dengue começou em fevereiro nos 152 Centros de Saúde de Belo Horizonte em crianças de 10 a 14 anos. No entanto, apenas seis postos (confira abaixo) continuam aplicando o imunizante devido à baixa adesão.

A capital mineira recebeu do Ministério da Saúde cerca de 49,5 mil doses do imunizante, destinadas à aplicação de primeiras doses, contemplando as idades, que totalizam cerca de 120 mil pessoas. Até o momento foram aplicadas cerca de 47.600 doses da vacina contra a doença. Portanto, a cidade precisa de mais de 70 mil novas doses para imunização completa da faixa etária.

Como o esquema vacinal da Qdenga é composto por duas doses, que devem ser aplicadas em um intervalo de três meses, será necessário que o município receba mais vacinas para a posterior aplicação da segunda dose. A definição sobre ampliação de grupo prioritário para receber as doses da vacina contra a dengue é de responsabilidade do Ministério da Saúde.

Em abril, o órgão nacional anunciou que os municípios que tinham estoques com doses válidas apenas até dia 30 de abril poderiam ampliar a faixa etária na vacinação contra a dengue para as pessoas de 4 a 59 anos.

No entanto, os imunizantes enviados a Belo Horizonte tem vencimento apenas em junho deste ano. Sendo assim, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG), a estratégia de vacinação para o público de 10 a 14 anos se mantém no município por tempo indeterminado.

Centros de saúde de BH com o imunizante:
Centro de Saúde Santa Rita de Cássia - Rua Cristina, 961 - São Pedro
Centro de Saúde Marco Antônio Menezes - Rua Petrolina, 869/871 - Horto
Centro de Saúde Carlos Prates - Rua Riachuelo, 35 - Carlos Prates
Centro de Saúde Guarani - Rua Pacaembú, 160 - Guarani
Centro de Saúde Tupi - Rua Jorge Amado, 91 - Tupi
Centro de Saúde São Francisco - Rua Viana do Castelo, 485 - São Francisco


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.