14/05/2024 às 16h54min - Atualizada em 16/05/2024 às 00h00min

Canabidiol traz mais qualidade de vida aos pacientes com Parkinson

Estudos recentes sobre o uso do composto da cannabis trazem esperança para pacientes de todos os cantos do mundo que lutam contra o problema

EDUARDO BETINARDI
Divulgação
Canabidiol traz mais qualidade de vida aos pacientes com Parkinson


Curitiba, 14/05/2024 - A doença de Parkinson é neurodegenerativa e causada pela destruição de neurônios. Ela provoca, entre outros problemas, tremores, movimentos lentos, rigidez muscular, problemas de equilíbrio e distúrbios do sono. Infelizmente, a doença de Parkinson é debilitante sem cura, embora existam opções de tratamento que desaceleram seu avanço e diminuem seus efeitos, como o canabidiol (CBD).

“A cannabis está revolucionando o tratamento do Parkinson ao oferecer alívio para sintomas debilitantes”, destaca o médico especialista em cannabis medicinal, Daumiro Tanure, Membro da SBEC - Sociedade Brasileira do Estudo da Cannabis Sativa e médico do Centro de Acolhimento em Terapia Canabinoide Anna. “Os pacientes têm observado benefícios significativos, incluindo a redução de tremores, uma melhoria notável na qualidade do sono, diminuição da ansiedade e alívio efetivo da dor. Os efeitos são atribuídos à interação dos compostos da cannabis com o sistema endocanabinoide do corpo, oferecendo assim novas esperanças e perspectivas para aqueles que vivem com este sofrimento”, complementa o especialista.

Em Curitiba (PR), o Centro de Acolhimento Anna, especializado em terapia canabinoide e pioneiro no segmento no país, localizado na Santa Casa de Misericórdia, fornece orientações e atendimentos com médicos especializados em tratamento de Parkinson por meio do CBD. Atualmente, o espaço conta com dezenas de pacientes que tratam da doença neurodegenerativa. Há mais de dois meses, Gildásio Silveira, de 75 anos, trata a doença de Parkinson com CBD e, mesmo com pouco tempo, já visualiza melhoras. “Ele ficou 10 anos com o tratamento tradicional, que não surtiu efeito. Em um mês com o canabidiol notamos uma melhora significativa, principalmente das dores, que diminuíram muito”, conta sua esposa, Sueli Silveira.

“Os avanços em pesquisas sobre a cannabis medicinal e o Parkinson são promissores, revelando melhorias tanto em sintomas motores quanto não-motores, como tremores, rigidez, ansiedade e distúrbios do sono”, avalia o Dr. Daumiro Tanure. De acordo com o médico, os estudos sublinham a potencial eficácia dos canabinoides em melhorar a qualidade de vida dos pacientes. “A regulamentação adequada da cannabis é crucial para assegurar o uso seguro e monitorado, garantindo que os pacientes tenham acesso a tratamentos eficazes, ao mesmo tempo em que minimizam riscos e efeitos adversos”, completa o especialista.
 

Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
EDUARDO BETINARDI
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.