03/05/2024 às 10h24min - Atualizada em 03/05/2024 às 10h24min

Especialista alerta para aumento do número de casos de infecções sexualmente transmissíveis em BH

Belo Horizonte segue a tendência de alta registrada no mundo e no Brasil.

Jacqueline Moura - itatiaia.com.br
freepik

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) são contabilizados no mundo mais de 1 milhão de casos de infecções sexualmente transmissíveis curáveis por dia, entre pessoas de 15 a 49 anos. Belo Horizonte segue a tendência de alta registrada no mundo e no Brasil.

Segundo a infectologista da Coordenação de Saúde Sexual e a Atenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis da Secretaria Municipal de Saúde, Cíntia Parente, tem-se observado aumento na procura por atendimento nos últimos quatro anos, na URS Centro-Sul, unidade de referência para atendimento de infecções sexualmente transmissíveis.

SAÚDE
Até 90% das pessoas que tiveram covid-19 podem ter problemas pulmonares anos após alta, diz estudo
A unidade faz atendimento de porta aberta, tem pacientes com úlceras genitais, corrimento uretral e corrimento vaginal. Nota-se também, nos últimos anos, um aumento dos casos de sífilis adquirida. Em relação ao HIV e as hepatites virais, esse número é estável, a cada ano novos casos são registrados, mas o número de novos casos não tem aumentado.

“É muito importante que a pessoa que tenha algum sintoma, ou mesmo aquela pessoa que quer se testar, mesmo assintomática, procure o serviço para fazer o teste rápido. Deve procurar também ações de prevenção, não esperar ficar doente. Procurar o serviço que a gente tem para ações de prevenção e, se ela tiver algum sintoma, procurar as unidades que fazem esse atendimento, para ser feito o tratamento e, inclusive, para que não haja transmissão para outras pessoas”, detalha a médica.


A infectologista ainda explica que se a pessoa tiver algum sintoma de infecção sexualmente transmissível, ela deve procurar qualquer um dos centros de saúde de Belo Horizonte, onde será feita avaliação médica, e testes rápidos de HIV, hepatite B, hepatite C e sífilis. Se o teste for positivo, esses pacientes são encaminhados para o serviço de atenção especializada de Belo Horizonte.

“Além disso, temos em Belo Horizonte a URS Centro-Sul, que fica ali na rua Paraíba, e faz atendimento de porta aberta de infecções sexualmente transmissíveis como úlceras genitais, corrimento uretral ou corrimento vaginal. O usuário também pode procurar essa unidade, onde encontra um serviço especializado em infecções sexualmente transmissíveis”, alerta a doutora Cíntia Parente.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.