30/04/2024 às 18h31min - Atualizada em 02/05/2024 às 00h01min

O Agro é pop e cada vez mais digital!

Em um mundo cada vez mais tecnológico, a agronomia se familiariza com inovações, a fim de captar oportunidades de crescimento de qualidade, de produtividade e de gestão de operações para colher melhores frutos

Camila Bernardinelli
Divulgação

Por Camila Bernardinelli

 

O setor agrícola brasileiro expressa grande importância para a economia nacional e global, sustentando diversas indústrias com seus produtos, usados tanto para importação quanto para exportação. Por carregar tais complexidades em seu meio, o crescimento, a sustentabilidade e a segurança de processos aliam-se a soluções inovadoras, como tecnologias modernas e de automação, que buscam potencializar a produção no campo e superar desafios relacionados à eficiência e controle das operações.

 

Para termos uma visão mais ampla sobre a importância da agronomia, dados divulgados recentemente pela IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) informam que o agronegócio brasileiro fechou o ano de 2023 com um superávit de US$ 148,58 bilhões, um crescimento de 4,9% em relação ao ano de 2022.

 

Demonstrando que o setor Agro está em constante crescimento, as demandas de produção também acompanham essa proporção, exigindo que estratégias e medidas sejam praticadas a fim de lidar com todos os aspectos que envolvem a produção em campo.

 

A tecnologia como meio de potencializar o campo

A fim de lidar com automação e otimização de processos e operações, a tecnologia tem se comportado como uma grande amiga do agronegócio, até mesmo para criar soluções criativas e sustentáveis, que permitam mais sustento e mais poder de decisão e prevenção para um setor que lida com alto volume de alimentos e ocorrência de eventos naturais extremos, como alterações de temperatura e chuvas intensas. Entre os principais benefícios desse crossover que vem exalando popularidade está o aumento da produtividade, com uso de inovações que aderem à precisão, drones, sensores e sistemas de irrigação automatizados, impulsionando a gestão das lavouras, ou seja, utilizando recursos e insumos de acordo com os dados sobre solo, clima e plantações, reduzindo desperdícios e tornando a operação mais rentável.

 

De um outro lado, a inovação permite que agricultores acompanhem em tempo real o desenvolvimento das plantações, sendo possível identificar instabilidades e problemas de modo mais rápido e, portanto, com soluções mais eficazes, que evitem perdas e reduzam os custos com outros tratamentos. Ainda no viés de previsibilidade, o agronegócio torna-se mais analítico e integrante do mundo de dados quando adere à tecnologia, experienciando tomadas de decisões mais embasadas, de acordo com a necessidade de cada contexto. Decidir, portanto, sobre compras, planejamentos e uso de recursos torna-se mais consciente, impactando positivamente na qualidade do trabalho e, consequentemente, na qualidade dos produtos produzidos.

 

A sintonia entre tecnologia e o campo abre espaço para que o setor se desenvolva de acordo com o mundo moderno e com as demandas que envolvem a complexidade do mundo Agro, afinal, a agronomia traz grandes resultados valiosos para métricas econômicas justamente por comercializar e produzir produtos que são vitais à vida humana. Devido a isso, as operações devem estar prontas para se adequarem às necessidades do mundo econômico, social e ambiental, encontrando base na tecnologia.

 

Adquirir controle é a semente do agronegócio!

Além de maquinários, drones, sensores, precisão e uso de dados, o agronegócio também vem investindo em softwares de gerenciamento, estabelecendo uma nova cultura empresarial para o setor do campo através do ERP (Planejamento de Recursos Empresariais), centralizando-se como uma ferramenta estratégica. Sobretudo, o sistema ERP tem como maior destaque a ampla capacidade de armazenar dados de diversos setores dentro de um negócio, integrando informações de forma que a visibilidade cresça e o controle e escolha de caminhos seja mais estratégico e inteligente.

 

Sendo uma tecnologia de ponta, benefícios mencionados anteriormente, como previsão, exatidão, monitoramento, produtividade e eficiência também se aplicam ao modelo ERP integrado ao agronegócio. Olhando para tantas frentes e vantagens, o ERP diferencia-se na agronomia por atribuir gestão e controle de todas essas etapas que passaram por mudanças, seja controlando qualidade, produção e estoque, finanças, fornecedores e clientes, até os dados e tomadas de decisão.

 

Por acompanhar e integrar as informações, os insights gerados permitem que o custo-benefício das operações no campo sejam mais rentáveis e que tendências de mercado e previsão de safras sejam mais bem aproveitados.

 

Não é, portanto, eufemismo afirmar que o Agro está cada vez mais digital e aberto a se familiarizar com a tecnologia e com informações estratégicas. Justamente por ser um meio facilitador, a agricultura começa a ter uma nova capa protetora e ágil, robusta o suficiente para lidar com demandas que definem a qualidade do serviço e a conformidade das operações. Aliado a inovação, como o ERP, o agronegócio colhe eficiência, controle e crescimento sustentável em cada safra.

Camila Bernardinelli, Head de Marketing da Actionsys


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://portalg7.com.br/.